Felipe Fonseca

Oi, eu sou Felipe Fonseca, conhecido por aí como efeefe. Desde meados de 2019, sou doutorando no projeto OpenDoTT da Universidade de Northumbria (em Newcastle, Inglaterra), pesquisando a prevenção de lixo em projetos de “cidades inteligentes” por meio de práticas de reuso. Meu blog de pesquisa conta um pouco mais sobre o que tenho feito. Vivo atualmente em Berlim, na Alemanha, desenvolvendo minha pesquisa junto à Fundação Mozilla (infelizmente, remoto por conta da pandemia de COVID-19).

Antes de vir para a Europa, eu vivi por mais de uma década em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, onde fui também professor, palestrante e organizador de projetos de cultura, tecnologia e ciência.

Atividades anteriores

  • Diretor do UbaLab.
  • Associado pleno do ninho.
  • Articulador do Festival Tropixel.
  • Gerente de Comunidade de Usuários na OptDyn, criadora da plataforma de cloud peer-to-peer Subutai.
  • Pesquisador bolsista no MediaLab UFG, no projeto Mapas Culturais.
  • Gerência de Projetos na OptDyn, criadora da plataforma de cloud peer-to-peer Subutai.
  • Criação e organização dos encontros da inc.ubalab - incubadora colaborativa.
  • Criação e estruturação do Prisma - educação para inovação socioambiental.
  • Criação e estruturação da Escola da Vida em parceria com a Escola Waldorf Jardim Primavera.
  • Plataforma Ciência Aberta Ubatuba: assistente de pesquisa, sob coordenação do IBICT e com bolsa do IDRC/OCSDnet (de fevereiro de 2015 a junho de 2017).
  • Curso Transformatéria, no LABXS / Instituto Procomum, em Santos/SP.

Histórico resumido

Fundador do UbaLab (2009) e da plataforma Rede//Labs (2010). Integrante da diretoria da Associação Gaivota (ACCG) (2013 - 2018). Colaborador da Rádio Cultural Comunitária GaivotaFM (2014 - 2017). Gestor voluntário da Escola Waldorf Jardim Primavera (2015 - 2017).

Coordenador do Ninho e de iniciativas como o Festival Internacional Tropixel, a intervenção Ocupe Ubatuba, a pesquisa Transformatéria, e muitas outras.

Fundador das redes Metareciclagem (2003) e Bricolabs (2006), e dos coletivos Desvio, Lixo Eletrônico e Mutirão da Gambiarra. Participou da criação e implementação do programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura. Trabalhou com os projetos Acessa SP e Casa Brasil.

Foi fellow da plataforma Waag-Sarai (2004), designer residente na Virginia Commonwealth University do Catar (2014), pesquisador residente no Ping (2016) e junior fellow do Digital Cultures Research Lab da Universidade Leuphana (2016).

Representante do setor de Cultura Urbana e Digital no Conselho Municipal de Cultura (2015-2019), e integrante da Comissão Proponente do Sistema Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Ubatuba.

Textos e publicações relevantes